Notícias

Marco Aurélio Cunha critica arbitragem e não descarta presidência do São Paulo

0

O São Paulo perdeu para o Corinthians por 2 a 1, e segue sem vencer na Arena, em Itaquera. Entretanto, a arbitragem foi alvo de críticas de torcedores são-paulinos. Em participação do programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, o ex-dirigente do Tricolor, Marco Aurélio Cunha aproveitou para falar sobre os erros cometidos.

A grande reclamação está na origem do primeiro gol. Na jogada que originou o escanteio do tento, a bola teria saído pela linha de fundo, antes do chute de Pedrinho, que exigiu defesa de Tiago Volpi. Além disso, quando a bola balançou as redes, ficou a dúvida se a redonda entrou ou não.

“A bola saiu muito mais do que entrou no primeiro gol. A bola que por acaso tenha teria entrado, dificilmente dá para ter certeza desse gol. Mas todos têm certeza que a bola saiu, temos erros de arbitragem que não é possível. Acho que esse lance se vai para o intervalo 0 a 0, o jogo no segundo tempo seria mais difícil. O São Paulo ainda empatou, teve a falha do Volpi, acontece”, afirmou.

Marco Aurélio ainda foi questionado se assumira o cargo da presidência no futuro. Apesar de ver como um grande desafio, o ex-dirigente não titubeou em sua resposta e não descartou ser mandatário do clube.

“Não posso dizer que seja meu principal objetivo. A vida tem tanta coisa importante, trabalho, medicina. O São Paulo é minha paixão, foi meu primeiro emprego, deixei em 2010, voltei em 2016. Acho que eu poderia ser um bom nome, e que faria bem feito, tenho um filho maravilhoso, filha. A vida da gente fica muito difícil, mas eu encararia o desafio sim”, emendou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Com semanas cheias, Mancini projeta evolução do São Paulo

Último artigo

Insatisfeito com atuações, Volpi se isenta de culpa por derrota

Próximo Artigo

Comentários

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Veja mais Notícias